Você será redirecionado em 8 segundos

CRN agora é IT Forum 365. Uma nova comunidade onde você encontrará todo o conteúdo de qualidade a que estava habituado mas com novas possibilidade de interação com os participantes desse novo mundo. Venha participar deste novo momento na comunidade de TI com interação, colaboração, apresentações e muito mais. Faça seu cadastro e seja bem-vindo!

IT Mídia
Notícias em destaque
RSS
Notícia enviada por EPR Comunicação Corporativa redacao@epr.com.br
| 17 de outubro de 2012

Wi-fi corporativo: a solução não está na controladora

Por Fernando Lobo *

Para quem investe em wi-fi em sua empresa, é importante saber que a homologação do padrão 802.11n não trouxe somente avanços tecnológicos. O protocolo foi uma verdadeira libertação das controladoras, soluções antigas que foram projetadas em uma época em que a capacidade de processamento dos pontos de acesso era insuficiente para distribuir com inteligência os acessos à rede.

As controladoras foram criadas em 2003 para suprir a existência de um control plane compartilhado, responsável pelas operações em tempo real na infraestrutura de rede sem fio, para pontos de acesso wi-fi. Era uma época em que criar uma solução de uma única caixa era mais barato do que adicionar capacidade de processamento aos pontos de acesso e criar protocolos para compartilhamento.

Porém, essa solução tem diversas falhas graves, que podem inclusive comprometer o bom andamento da empresa. O principal é o ponto de acesso remoto, uma tentativa dos fabricantes de passar uma grande quantidade de funcionalidades para os locais cobertos por esse sistema sem a necessidade de instalar controladoras em todos os ambientes que deveriam ser cobertos pelo sinal wi-fi. Por ser conectado à controladora, que repassa as ações, a troca de informações entre os dois nunca pode ser interrompida. Caso contrário, o acesso remoto perde sua função. São riscos que nenhuma empresa deve correr.

Mas, ainda bem, nos últimos anos, a tecnologia evoluiu e libertou as empresas do pânico que era poder perder acessos em momentos cruciais. Os fabricantes de controladoras tiveram sorte que o tsunami de dispositivo wireless em corporações demorou a acontecer. Mas hoje já é uma realidade. E, com isso, surgem as inovadoras soluções de wi-fi sem controladoras, que têm mais rendimento e menor custo.

Nas soluções sem controladora, todas as funções de distribuição de dados são enviadas pelos pontos de acesso, da mesma forma que se distribuem nas redes cabeadas, porém mantendo a gerência e configuração de maneira centralizada através de um sistema responsável pela rede wi-fi. A solução faz a vez da controladora, utilizando um protocolo descentralizado e colaborativo entre os pontos de acesso, que podem ser ampliados de acordo com a necessidade da empresa. Com isso, estes pontos de acesso formam um sistema coletivo de tamanho variável. Este protocolo cria o control plane compartilhado, formando, assim, um computador distribuído, que não exige licenças adicionais.

Graças à lei de Moore, que afirma que o número de transistores dos chips teria um aumento de 100% pelo mesmo custo a cada período de 18 meses, a capacidade de processamento, memória e todos os componentes associados, exige hoje investimento baixo o suficiente para se criar um control plane compartilhado através de protocolos intra-AP e inter-AP, além do tráfego seguir o seu caminho mais direto, sem fazer desvios.

Vale destacar que em nenhum momento a solução controladora é melhor que a sem. Protocolos são de graça. Controladoras são caras. Protocolos não tem um ponto único de falha. As controladoras são ponto único de falha. Protocolos operam em qualquer lugar em que os pontos de acesso estejam. As controladoras têm que estar instaladas de forma que os pontos de acesso as alcancem. Controladoras são gargalos. Pontos de acesso sem controladoras são apenas limitados pela infraestrutura Ethernet ao qual eles estão conectados.

Mesmo que as variações nos ambientes que irão receber o wi-fi sejam muitas, optar por uma rede sem controladora sempre será a opção mais econômica.

Portanto, a tecnologia que o mercado está adotando hoje não trouxe somente mais garantias e confiabilidade para empresários que investem em soluções de wi-fi corporativos. Representam também opções mais baratas, de fácil expansão e que conseguem acompanhar a demanda da empresa.

* Fernando Lobo é diretor geral da Aerohive para a América Latina

Parceiros

Portais: IT Mídia | IT Web | Saúde Web

Fóruns: IT Forum | IT Forum + | IT Business Forum | Saúde Business Forum